domingo, 13 de fevereiro de 2011

O que se tem e o necessário

Olá amigos, hoje excepcionalmente postarei um texto que não foi escrito por mim, se trata de um resumo da adaptação de uma parábola hindu, adaptação essa que se encontra na coletânea de contos “pesadelos e paisagens noturnas vol. II (Stephen King). Antes de tudo porém, vale salientar que mesmo fazendo alusão a Deus, o que se segue não tem nenhuma conotação religiosa, apenas expressão de idéias.
Um dia o arcanjo Uriel veio diante de Deus com uma fisionomia abatida, vendo isso Deus o questionou sobre o motivo de tal, e esse o respondeu apontando por entre os pés em direção a terra, Deus olhou na direção em que o arcanjo apontava e viu lá em baixo a imagem de uma criatura magra e maltrapilha de um mendigo que se arrastava pela estrada ao mesmo tempo em que era enxotado e apedrejado por crianças, Deus olhou para ele com certo espanto ao vê-lo com lagrimas nos olhos, e o questionou a esse respeito, o mesmo respondeu prontamente, que a causa de suas lágrimas era a forma miserável como vivia aquele ser, Deus então disse a Uriel que aquele mendigo chamava-se Ramu, e que aquela forma miserável de vida era atarefa dela, e que quando seus dia se findassem a mesma seria entregue a outro,
Uriel então disse a Deus que entendia porém aquela visão enchia sua alma de trevas, Deus então disse a ele não haver lugar ali para trevas e que tomaria providencias para que aquilo fosse mudado, foi então que Deus tomou em suas mãos um diamante do tamanho de um ovo de pavão dizendo a Uriel que aquele diamante seria suficiente para alimentar Ramu até o fim de seus dias e mais ainda alimentaria até a sétima geração de seus descendentes, Deus então atirou o diamante na terra o mesmo caiu a alguns metros de distancia de Ramu que se queixava em silencio dos infortúnios pelos quais a vida o teria feito passar, seguiu arrastando-se, passou pelo diamante sem notá-lo ao mesmo tempo em que se penitenciava por reclamar da vida, pois concluiu que mesmo na penúria em que vivia não era de todo desafortunado, pois ainda possuía visão e mesmo com muita dificuldade conseguia mover-se, enquanto algumas pessoas trocariam conforto e riqueza por estas duas dádivas. Deus então recolheu o diamante e o colocou na montanha de onde o havia retirado, arrancou um galho de uma arvore e o jogou na estrada por onde Ramu caminhava, este certamente recolheria e o usaria como cajado até o fim de seus dias. Uriel então para Deus e o questionou se Deus o estaria testando, da mesma forma Deus se voltou para ele devolvendo a pergunta. __ Será?


4 comentários:

borboleta psique disse...

Um teste ou uma oportunidade perdida?!
Bem, o fato é que, as vezes, mesmo quando temos as melhores oportunidades, não sabemos usá-las e aproveitá-las e isso faz com que fiquemos na mesma situação, tal qual já estávamos.
Então, creio que, de nada adianta querer muito uma coisa ou ter isso a disposição se, de fato, não sabemos lidar com tal.
[minha opinião]

RosaMaria disse...

As oportunidades estão ai!

E nem sempre estamos prontos para enxerga-la.

Gostei do texto.
Tava com saudades de passar por aqui.

Beijão
Fica bem!

Mari disse...

oq pensei a borboleta psique já disse tudo hehehe


=S

que medo....nao queria perder oportunidades mas teste tambem nao sei lidar nao sei oq pensar

Anônimo disse...

E só quem viveu este momento sabe o quão sábio eh o Senhor. A vida que geramos nos dará a exata dimensão das chances que teremos. Não eh o simples crescei e multiplicai eh o teu entre os outros querendo uma pedra igual ou maior ou menor pra carregar !!! If u know what i mean !!!!!