sexta-feira, 18 de junho de 2010

Palavra Perdida



Assim como tudo a nossa volta, as palavras estão sempre em mutação, às vezes são como folhas dançando ao vento do outono, em outras são como um tornado passando por cima de tudo e todos, são como rosas macias e perfumadas, e assim como as rosas esconder muitos espinhos, ser como a chuva que refresca, mas que as vezes inunda e destrói, as vezes são como beija flores polinizando as pessoas em cartas de amores, e em outras são como balas perdidas, saindo das pessoas e causando mal a outras sem ao menos saber o porque.
Palavras lindas são como pétalas de rosa jogadas pelo chão, num primeiro momento é belo e poético, mas não demora muito para que sequem e tornando-se apenas sujeira, por outro lado as palavras duras e ásperas são os espinhos, e uma vez que nos ferem mesmo que o retiremos de nossa pele, que limpemos nossas feridas permanecerá dolorido durante algum tempo.
Assim sendo as palavras tem um poder muito maior do que se imagina, pois podem erguer ou arruinar uma pessoa, podem encher de esperança ou despedaçar um coração, podem ser um balsamo ou a dose final, por isso que até hoje vale a máxima de que a pena é muito mais letal que a espada.


Junior Gros